Depois de quatro pedidos, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus para o casal, que estava preso desde o dia 21 de setembro deste ano.

MANAUS (AM) – Os proprietários da rede de supermercados Vitória, em Manaus, Joabson Agostinho Gomes e Jordana Azevedo Freire, presos como principais suspeitos pelo homicídio do sargento da Força Aérea Brasileira (FAB), Lucas Ramon Silva Guimarães, podem deixar a prisão  a qualquer momento.

O advogado do casal, Iuri Albuquerque, e ele confirmou que o casal deve ser solto ainda nesta quarta-feira (10).

“O habeas corpus do Joabson se estendeu à Jordana e os dois foram soltos por meio dessa concessão de ordem. […] Creio que serão soltos hoje”

Iuri Albuquerque, advogado da família

Relembre o caso

No dia 1° de setembro,  o sargento do Exército Brasileiro e dono de uma cafeteria, Lucas Ramon Silva Guimarães, de 29 anos, foi assassinado a tiros dentro do estabelecimento dele, situado na avenida Ayrão, bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul de Manaus.

Testemunhas informaram que um suspeito chegou ao lugar em uma motocicleta, estacionou o veículo e entrou no estabelecimento.

  No lugar, ele teria chegado a perguntar pela vítima e ao identificar Lucas efetuou tiros contra ele. Após o crime, o suspeito fugiu. A vítima foi atingida na cabeça e ainda chegou a ser levada a um hospital particular – de propriedade do sogro de Lucas – situado ao lado do estabelecimento comercial, mas não resistiu aos ferimentos.

Traição e desvio de dinheiro

Traição e desvio de dinheiro foram os motivos que resultaram no assassinato do sargento do Exército Brasileiro Lucas Ramon Silva Guimarães, que tinha 29 anos. Joabson descobriu que Jordana estava tendo um relacionamento extraconjugal com Lucas e, por isso, teria encomendado a morte do sargento.

Fonte: Em Tempo