Único a registrar no Plano de Governo a intenção de conceder auxílio financeiro às famílias em vulnerabilidade social, o candidato a prefeito de Manaus pela Coligação Juntos Podemos Mais, Amazonino Mendes, informou que o Cartão Direito à Vida, que foi criado por ele, voltará a ser fornecido, como uma das primeiras providências, caso seja eleito. E que o valor será estabelecido a partir das necessidades do público beneficiado. O anúncio foi feito em reunião por videoconferência com os moradores do bairro Cidade de Deus, zona Norte, na noite da última terça-feira (03/11).

Amazonino (PODEMOS) foi um dos precursores, no Brasil, desse tipo de auxílio emergencial, que ele considera fundamental para que as famílias possam ter o suporte necessário para sustentar os filhos, de forma digna. “Fui muito criticado por isso, porque enxerguei lá atrás a importância dessa ação, que sempre fez parte das minhas administrações, e que vou retomar mais uma vez”, ressaltou.
Desde que iniciou a pandemia de Covid-19, Amazonino tem alertado para a necessidade de amparo à população mais necessitada. “Vamos enfrentar uma forte crise gerada pelo desemprego agravado pela pandemia. Vamos dar esse apoio financeiro e também trabalhar em outras frentes para geração de emprego e renda. As pessoas precisam de acolhimento, de solidariedade. Isso não é uma corrida atrás de votos. É respeito pela dor das pessoas’’, afirmou Amazonino.
O Cartão Direito à Vida foi criado por Amazonino Mendes em 1996. Antecedeu em muitos anos o Bolsa Família do governo federal, que só surgiu em 2003. Na época, ele era governador e o Cartão Direito à Vida chegou a beneficiar 104 mil famílias. Como prefeito, no período de 2009 a 2012, Amazonino criou o Bolsa Família Municipal. O recurso atendia a 67 mil famílias de Manaus.
Emocionada, a aposentada Raimunda Mota pediu a palavra durante a videoconferência para agradecer o ex-governador pela volta do Programa Direito à Vida, benefício que, segundo ela, foi muito importante para que pudesse criar os seus 14 filhos. “Eu sou a prova viva do quanto o senhor se preocupava com as pessoas mais humildes. O quanto ajudou. Eu guardo esse cartão até hoje (ela mostrou) como forma de agradecimento pela sua contribuição ao nosso povo”, declarou, emocionada.
Em resposta, Amazonino disse que quer poder fazer mais ainda. “Eu quero dizer para vocês que esse é meu histórico e vocês já conhecem. Sabem que faço. Avaliem o candidato pela história dele: se promete e entrega ou se vive de promessas em tempos de eleição”, destacou.
Amazonino lembrou que o Bolsa Família do governo federal, quando foi lançado, já tinha experiência implantada por ele no Amazonas com o Cartão Direito à Vida. “Pouca gente sabe disso. Mas essa semente nasceu aqui. Fui atacado, fui criticado. Mas os que me atacavam comiam todo dia, podiam usufruir de casas confortáveis e se tratavam com os melhores médicos. Nunca fui atacado pelas pessoas que necessitavam do auxílio, que sofriam para sustentar a família”, relembrou.
Ele disse que, nesse momento de pandemia, o auxílio financeiro voltou a ser uma urgência, principalmente, pela possibilidade de corte ou redução do auxílio federal. “As pessoas precisam mais do que nunca desse apoio e estou pronto para tomar essa medida assim que assumir, se for eleito.

Desenvolvimento social
Além do Cartão Direito à Vida, o Plano de Governo do candidato Amazonino Mendes prevê a retomada do Banco da Gente, com crédito para pequenos empreendedores e para os que queiram montar o seu próprio negócio.
O candidato também vai criar ações específicas para o resgate das pessoas em situação de rua e ampliar o Programa de Habitação para famílias de baixa renda.
O Programa Leite do Meu Filho, criado por ele na última administração na Prefeitura, será ampliado. Na época, o programa atendia 100 mil crianças e hoje chega a pouco mais de 20 mil.
Líder em todas as pesquisas de intenção de votos para a Prefeitura de Manaus, Amazonino concorre ao lado do deputado estadual Wilker Barreto (PODEMOS).