Ação é realizada por meio da Adaf e integra estratégias do Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS).

O Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), iniciou inquérito soroepidemiológico para a peste suína clássica (PSC) em 320 criatórios de suínos no Amazonas. O trabalho está sendo executado pelas equipes das Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsavs) da Adaf no interior. Mais de 3 mil amostras deverão ser coletadas.

Em julho deste ano, as equipes técnicas da agência receberam um treinamento teórico e prático sobre síndromes hemorrágicas dos suínos, coleta e envio de material para diagnóstico, para contribuir com o Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Visando o cumprimento do plano, capacitamos o corpo técnico das Ulsavs da Adaf para realizar a coleta e envio do material. Dessa forma, gostaríamos de contar com imprescindível apoio dos criadores das propriedades selecionadas e órgãos parceiros para que o trabalho de nossas equipes de campo ocorra no tempo previsto”, destaca o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

Alexandre explica que esse inquérito soroepidemiólogico visa o diagnóstico da circulação do vírus da PSC na Região III do Plano Estratégico, que abrange 54 municípios dos estados do Amazonas, Roraima e parte do Pará.

“Esse trabalho é muito importante para avançarmos no controle sanitário de nosso rebanho suíno e contribuir com a valorização da atividade agropecuária de nosso estado”, destacou.

A coordenadora estadual do Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS), médica veterinária Jeane Cristini Barbosa, prevê que as coletas sejam finalizadas em outubro. As amostras serão encaminhadas ao Laboratório Nacional Agropecuário do Ministério da Agricultura (Lanagro) para serem analisadas.

“Este inquérito soroepidemiológico, que envolve somente a Região III (AM, PA, RR) do Plano Estratégico Brasil Livre de PSC, está inserido nas estratégias do Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS), como parte do processo para suprir a deficiência de informações e ações de vigilância, além da necessidade de melhor caracterização do sistema produtivo de suínos e da condição epidemiológica da PSC, para intervenção de forma regionalizada’’, destaca a coordenadora.

Sobre a peste suína – A peste suína clássica (PSC) é uma doença que não é transmitida aos humanos, mas traz grandes prejuízos econômicos para a suinocultura.

Sorologia para febre aftosa – A Adaf também está realizando uma nova coleta sorológica em bovinos e bubalinos de 6 a 24 meses, oriundos de propriedades rurais dos municípios que mantêm a vacinação contra a febre aftosa e fazem parte Bloco II do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa), na transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação.

Ao todo, 330 propriedades rurais de 43 municípios participarão da sorologia. A estimativa da Adaf é coletar mais de 4 mil amostras.

FOTOS: Divulgação/Adaf