A Prefeitura de Manaus e o Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) realizaram, na manhã desta terça-feira, 3/8, a solenidade de posse dos alunos ouvidores do projeto “Ouvidoria Estudantil” em que três escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed) fazem parte desse projeto-piloto, que pretende atender mais de 500 unidades de ensino do município. O evento ocorreu no auditório do TCE, bairro Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul.

O projeto criado em 2019 tem o objetivo de capacitar os alunos da rede pública de Manaus, por meio do protagonismo na gestão escolar e a participação cidadã, além de fortalecer o controle social. O secretário municipal de Educação, Pauderney Avelino, participou do evento e mencionou a importância de fiscalizar o poder público.

“A cultura da fiscalização deve ser implantada desde muito cedo no cidadão e eu, assim como o prefeito David Almeida, queremos muito que seja multiplicado em todas as nossas escolas e que os alunos criem o sentimento do que é importante, que é o serviço público de qualidade. Que nada fique nas promessas e sim nas ações, esse controle vai iniciar a partir desses jovens, isso é cidadania. Os jovens vão cobrar os serviços que as escolas propõem oferecer e se estão oferecendo”, declarou Pauderney.

O projeto foi idealizado pelo conselheiro-ouvidor do TCE, Érico Xavier Desterro e Silva, que apontou a intenção da iniciativa de que todas as escolas públicas do Amazonas participem da ação.

“Nós procuramos a Semed para realizar esse projeto, que a gente pretende que aconteça em todas as escolas públicas, como um canal de comunicação direta entre os alunos, a direção das escolas e também com as secretarias de educação. Dessa forma, teremos a participação efetiva do principal indivíduo dessa ação, que é o aluno, a voz que precisamos ouvir na educação”, pontuou Érico.

Unidades

As escolas municipais Antônia Pereira, no Santa Etelvina, zona Norte; Abílio Alencar, na rodoviária AM-010, zona rural e; Dalvina Oliveira, no bairro Tarumã, zona Oeste, foram as escolhidas para participar do projeto, por terem um Grêmio Estudantil atuante.

A ouvidora da escola Antônia Pereira, Sabrina Franciele da Silva, 14 anos, do 9º ano, disse que pretende colocar em prática o cargo e buscar melhorias para a escola.

“Na minha sala tem um aluno que é cadeirante e eu incentivo que ele use o elevador. Vou em busca de uma biblioteca, sala de computação, já que muitos alunos não têm internet boa em casa. Então essa sala seria útil para eles, que precisam fazer pesquisas. Eu quero ajudar a minha escola a manter o ensino de qualidade que recebemos diariamente”, pontuou a ouvidora.

Para o professor Jadson Oliveira, da escola municipal Abílio Alencar, o projeto é algo que a unidade trabalha há alguns anos. “A nossa escola desenvolve uma gestão democrática, onde os alunos são ouvidos. Essa é mais uma ferramenta que vai dar ouvido e voz aos nossos estudantes, porque nós estamos aqui para servi-los”, disse Jadson.

Formação

Após a solenidade de posse, os alunos que fazem parte da agremiação estudantil iniciaram uma formação, que segue até a próxima quinta-feira, 5/8. Nos três dias de formação, serão abordados os temas: Ouvidoria X Protagonismo Juvenil; Gestão democrática e Protagonismo estudantil, e Mecanismo de controle social; Questionários de avaliação das estruturas das aulas e dos ambientes nas proximidades da escola.

Para o presidente do Grêmio da Escola Abílio Alencar, Matheus Simão, 15 anos, do 9º ano, várias melhorias foram decididas em assembleia. “Ontem mesmo, começaram a instalar aparelhos de ar-condicionado novos nas salas, um projeto que todos os alunos desejavam. O que nós queremos é manter uma escola boa para todos os estudantes”, enfatizou.

Texto – Érica Marinho / Semed
Fotos – Alex Pazuello / Semed