Um surto de coronavírus entre servidores e prestadores de serviços da Assembleia Legislativa do Amazonas está preocupando o Legislativo Estadual.

A diretoria de Saúde da Casa convidou os trabalhadores para fazer testes gratuitos de Covid-19 com objetivo de saber a real situação da proliferação da doença entre os servidores.

Os testes rápidos foram realizados ao longo de três semanas, no prédio da diretoria de Saúde, onde os trabalhadores souberam se estão doentes ou se têm no organismo os anticorpos do vírus.

O resultado dos exames acendeu o sinal de alerta no Legislativo, que retomou as reuniões presenciais no plenário, bem como a entrada dos servidores no prédio da Aleam.

Embora a diretoria de Saúde não tenha divulgado o número de funcionários com coronavírus, a informação que circula pelos corredores da Aleam é que vários servidores frequentavam o local, sem saber que estavam na fase de transmissão da doença.

A circulação de pessoas contaminadas contribuiu para a disseminação do coronavírus entre os servidores, que foram afastados das atividades pelo período de três semanas.

Os testes rápidos também foram feitos nos funcionários da equipe de limpeza que presta serviço à Aleam.

Foi descoberto que vários destes funcionários estavam com Covid-19, porém assintomáticos. Antes de serem testados, os trabalhadores da equipe de limpeza circularam livremente pelos setores da Aleam, inclusive nos gabinetes dos deputados. Isso pode ter contribuído para a disseminação da doença no local.

Embora o Legislativo tenha determinado que todos os trabalhadores doentes fiquem em casa, cumprindo isolamento social, alguns servidores continuaram frequentando a Aleam.

O portal A Repórter recebeu a denúncia que uma servidora, que atua como chefe de gabinete de um deputado, recebeu o diagnóstico positivo para o coronavírus. Mesmo assim, a servidora continuou trabalhando todos os dias no gabinete, o que favoreceu a propagação do vírus entre os demais funcionários.

Nossa reportagem está investigando o caso, no entanto descobriu que a denúncia é verdadeira e que foi encaminhada à diretoria de Saúde da Assembleia.