Coari é um dos municípios do Amazonas que mais sente os reflexos da crise econômica provocada pela pandemia de Covid-19 e o colapso dos preços do petróleo. O município teve uma queda expressiva em suas receitas em razão dessas eventualidades. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Fazenda e Administração, o maior impacto é nas *receitas* advindas dos Royalties, que tiveram uma redução de R$ 7,2 milhões em janeiro para R$ 3,3 milhões em maio, representando uma perda acumulada de 55% nos primeiros cinco meses de 2020.

No comparativo com o mesmo período do ano anterior, evidencia-se uma diminuição de 45%, principalmente no mês de maio.

Em decorrência da queda na receita do município, ações de contingenciamento de gastos foram adotadas para minimizar este efeito, haja vista que, no momento, manter os serviços essenciais para que a população fosse o menos possível impactada foi prioridade.

Dentre as ações adotadas, a administração municipal realizou uma reorganização administrativa, que resultou na redução dos gastos com pessoal em 10%, estimando uma diminuição de aproximadamente R$ 4 milhões até o final do exercício de 2020. Além disso, também foi feito a supressão em 25% nos contratos de locação de imóveis e a suspensão de alguns contratos de veículos e equipamentos.

O prefeito Adail Filho salienta que o município de Coari vem driblando os efeitos da pandemia e a crise do petróleo, equilibrando as contas públicas para que não comprometa o funcionamento da cidade. “Mesmo com o cenário adverso, estamos mantendo em dia todos os serviços essenciais, dentro da nossa capacidade orçamentária. Na saúde, por exemplo, reforçamos o estoque de medicamentos, insumos e EPIs”, destacou.

Adail Filho ressalta, ainda, que a prefeitura está mantendo a capacidade de investimentos por meio de convênios e está cumprindo com o pagamento dos servidores em dia. “Desde o início da minha gestão estamos trabalhando com a organização orçamentária do município, em virtude disso, mesmo em decorrência da crise, algumas mudanças foram necessárias, mas não paramos com as iniciativas que visam a melhoria da qualidade de vida da população”, concluiu.