O Prefeito Municipal de Coari, Adail Filho, comemorou o início das obras de construção e pavimentação da estrada Coari-Itapéua. Os serviços começaram a ser executados oficialmente, no último dia 12, pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus – Seinfra, com suporte da Prefeitura.

Para Adail, esta é uma das obras de mobilidade mais importantes para o município. Ele destaca que essa intervenção na rodovia vai melhorar a trafegabilidade, proporcionando melhores condições de deslocamento das famílias e do transporte escolar, inclusive das comunidades do Baixo Solimões que também são interligadas pela estrada.

Além disso, também vai alavancar o desenvolvimento econômico da região, uma vez que produtores rurais poderão escoar sua produção de forma mais célere e principalmente em segurança. “Ainda fomentará o turismo, visto que, com a conclusão da obra será possível desfrutar com a família e os amigos de balneários da região”, evidenciou o prefeito.

O secretário de Infraestrutura de Coari, André Melo, explica que o projeto prevê a realização de serviços de terraplanagem, pavimentação, drenagem e sinalização de aproximadamente 20 quilômetros de extensão. A drenagem contempla serviços de captação de águas pluviais por meio de sarjetas e meio fio, direcionando o fluxo de água para as bocas de lobo ao longo da pista.

André ressalta que a obra na estrada Coari-Itapéua vai gerar mais de 150 empregos diretos, além incentivar outros milhares indiretos, fomentando a receita do município. Os serviços iniciaram na última sexta-feira, após finalização do levantamento topográfico e do canteiro de obras, com a emissão da Instrução Técnica Nº1. A previsão de término dos trabalhos é de até dez meses.

O secretário reforça que a obra vai trazer inúmeros benefícios, já que a estrada é estratégica para o município. Conforme ele, a rodovia vai interligar a sede do município as comunidades Itapéua e Guarabira, beneficiando produtores rurais e piscicultores não só dessas duas regiões, mas também de mais de 10 ramais e das 12 comunidades do Lago do Mamiá.

“Essas áreas são altamente produtivas. Elas produzem toneladas de açaí, banana, castanha, abacaxi, guaraná, melancia e café, por exemplo, além de hortaliças, ovos, aves, peixes, gado, entre outros. Ou seja, será uma conquista para toda a população coariense”, frisou André.