A evangélica voltou ao centro dos holofotes em um vídeo que circula nas redes sociais, onde ela afirma que a Aids é uma punição aos gays

A cantora gospel Ana Paula Valadão voltou a entrar em uma grande polêmica. Um vídeo gravado em 2016 no programa Diante do Trono, da Rede Super, voltou a circular nas redes sociais e mostra a religiosa fazendo comentários considerados homofóbicos, chegando a dizer que a Aids é uma punição aos gays

Com a repercussão do caso, quem decidiu se pronunciar foi a atriz e apresentadora Luana Piovani Usando sua conta oficial no Instagram, a loira publicou um vídeo de pouco mais de 16 minutos em que diz que é evangélica e ainda assim repudia o que foi dito por Valadão.

A atriz ‘ rasgou o verbo ‘ falar sobre religião e preconceito. Na publicação, a artista ainda deu uma alfinetada na cantora golpel

Eu sou evangélica e quero dar meu depoimento. A gente vai falar sobre essa… ai, difícil a gente nomear essas pessoas como seres humano também, eles poderiam estar em outro patamar. Porque não dá para achar que a gente é da mesma raça… A tal da Ana Paula Valadão”, disse a loira no começo no post.

A atriz ainda falou do discurso homofóbico que muitos religiosos fazem e continuou a criticar Valadão: “Ela diz insanidades. Ainda mais quando você vê que fala para uma massa, em um país onde não se tem educação e onde a vida é terrível e você tem que se apagar a qualquer coisa para sobreviver, que é o Brasil. Então é de uma irresponsabilidade e de uma tirania sem fim. Como alguém ainda hoje pode dizer que homossexualidade é escolha, que alguém é culpado por alguém ou que, ainda por cima, que Deus castiga ou que Deus gosta mais de um ser humano do que de outro”, desabafou.

Piovani concluiu dizendo que é evangélica e que chegou a frequentar cultos quando era criança. “Quando vejo esses templos gigantes, essas coisas fervorosas e esse tipo de posicionalmente, definitivamente, não me sinto representada. Não me sinto representada por esse discurso de ódio, cruel. Nunca falei disso, as pessoas acham hilário eu ser evangélica. Eu, há muito tempo, me desprendi de regras e entendi que Deus é aquele que está perto de mim e que se comunica comigo.Essa mulher não conhece Deus, é uma falcatrua, é uma vergonha.”